Resenha crítica – filmes – 6 years

Sexta passada estava bem cansada para assistir qualquer filme que fosse mais elaborado, então resolvi procurar por um romance bem tranquilinho, sem grandes ações e que tivesse menos de 2hs de duração ( risos!). Eis que me deparei com o filme “6 years” que parecia que vinha bem de encontro ao que eu queria. A sinopse era a seguinte:

Um jovem casal, Dan (Ben Rosenfield) e Mel (Taissa Farmiga), se conhecem desde a infância e estão namorando há 6 anos. A princípio, eles parecem ter um amor ideal, mas a notícia de uma oportunidade de emprego para Dan pode abalar o romance e mudar o rumo das coisas dependendo da escolha que ele fizer. Talvez o futuro que eles tinham imaginados juntos não se torne mais uma realidade.

Pensei: “Será mais um filme adolescente, com jovens divididos entre o romance e a faculdade. Tranquilo, é esse que vou assistir.” Mas que grande engano o meu! O filme já começa intenso, com uma cena de sexo dos protagonistas, que era cortada de 5 em 5 segundos, intercalada com cenas mostrando a cumplicidade que os dois possuíam em atividades bobas do dia a dia, como ir ao supermercado, pegar carona, etc.

O casal se conhece desde a infância, suas mães eram amigas e eles eram vizinhos de muro. Com os anos, ele se mudam juntos para outra cidade ( cada uma para seu apartamento) e vão cursar faculdade. Ela quer ser professora de jardim de infância e ele trabalhar na indústria fonográfica, como descobridor de novos talentos.

De melhores amigos, passam a namorados, daqueles que transmitem a sintonia da relação pelos poros. Aos seis anos de relacionamento, ambos com 26 anos de idade, começam a surgir questões se seis anos não era tempo demais quando se tem menos de 30 anos da idade.

O que mais me chamou atenção no filme foi que, as dúvidas e os desentendimentos, em hora nenhuma surgiram porque um estava cansado do outro ou da rotina dos seis anos de relacionamento, da possível falta de novidade, mas sim por questionamentos feitos por terceiros a relação: os amigos mais próximos do casal, os pais e até os chefes! Me chamou atenção como assim como no filme, como nós permitimos que os outros interfiram diretamente em nossos sentimentos sem ao menos nos darmos conta disso.

Os questionamentos eram tantos que, a relação “perfeita” deles parece ser provada a todo instante e, o que era para ser um filme água com açúcar se transforma em uma bela reflexão de interferências e julgamentos . Um drama ( no sentido bom da palavra, de ser um filme bem construído) que nos envolve e nos faz pensar até que ponto somos marionetes sentimentais dos nossos amigos e familiares.

Para mim, a mensagem deixada pelo filme, é algo que sempre digo para minhas amigas: se você tem um bom relacionamento, não o exponha. Ninguém sai por ai ostentando quando ganha um prêmio, então porque ostentar as conquistas da sua relação? Tem muita gente que não sabe lidar com a felicidade dos outros e acaba ( às vezes involuntariamente) mais atrapalhando do que ajudando. A velha inveja branca de sempre… Então preserve e mantenha para você suas conquistas e bons momentos, evitando assim que terceiros “bem intencionados” acabe com algo que ainda nem começou direito.

Não contarei mais detalhes do filme para não estragar a surpresa, mas já adianto que os três minutos finais são surpreendentes e cheios de atitudes bem maduras para um casal de apenas 26 anos… Assistam!

Segue o trailler:

Para os que tem Netflix, o filme foi adicionado recentemente e está dentre os destaques da programação, podendo ser localizado com o título original, em inglês: 6 years.

Anúncios

24 comentários em “Resenha crítica – filmes – 6 years

  1. Olá! Li sua crítica e achei bem interessante o fato de você perceber a influência de terceiros na relação.. Porem acho interessante notar também como as atitudes imaturas da menina nos problemas que atingiam o casam a deixava culpada e ela acabava ignorando os erros do namorado. O estopim para mim é o final, quando mesmo ele traindo ela, ela se sente culpada por ele ter machucado o pé. E essas são situações que vemos nos relacionamentos que acompanhamos. Um erra e o outro não sabe lidar de forma madura com os erros (seja terminando ou entrando em um consenso, mas que tal erro nao seja ignorado). Me identifiquei muito com a Mel no meu lado mais imaturo, mas, não pude deixar de notar que os erros dele como a traição não poderiam ter sido ignorados na hora de decidirem se ficariam juntos ou não.

    1. Exatamente. Ela se descontrolava tanto, querendo “arrumar” todas as situações conflituosas que acabava por ignorar as traições dele, como você bem colocou e bem apontou. Acho que no fundo, todas as mulheres tem um pouco de Mel, e acham que os fracassos amorosos são sempre culpa delas, o que é absurdo!
      Obrigada pelo seu comentário! =)

  2. Acabei de assistir esse filme haushau’ Eu não sou muito fã de filmes parados demais, mas esse filme como outro me prendeu bastante, só que eu me irritei muito com algumas cenas por causa dos personagens principais, acho que a garota era mesmo louca por ele e ele até gostou dela mas parece que deixou de amá-la ou nunca a amou e finalmente parece que no final do filme ela resolveu deixá-lo. Acho que esse filme foi bem real, as vezes as pessoas não conseguem deixar o parceiro(a). Tenho uma prima mesmo que demorou para acabar de vez com um relacionamento, eles iam e voltavam, iam e voltavam e finalmente ela deu um ponto final. É complicado mesmo quando alguém se apega a uma pessoa, mas devemos sempre nos valorizar em primeiro lugar. Porque olha essa menina, resolveu dá chances e quebrou na cara, acho que ela só precisava se valorizar mais(talvez dá uma chance sim, mas depende muito), só que por outro lado eu a entendi, é mesmo complicado quando se está apaixonada. E ele, nossa odieiiii, achei que iria gostar dele, mas ele errou e muito! Tem outro filme que tive que comparar com esse, é bem parado também mas é lindo e emocionante, o final também fica sem saber se o casal ficou juntos ou não. Não gosto de filmes assim, prefiro um final, só se o filme ter continuação que eu não ligo quando um final acaba assim, mas se não tem continuação me irrita e muito. Mas enfim rs, eu gostei da sua resenha e o filme é mesmo bem real 🙂 O nome do outro filme se eu não me engano é Loucamente Apaixonados, é muito bom, só que parado ^^

    1. Tive exatamente a mesma impressão que vc! Achei e ela sempre abria mão de tudo por ele, em nome do relacionamento de anos e ele tem tchum. Peguei raivinha dele também hahahaha. Também concordo com o que vc falou dos relacionamentos longos, como ocorreu com a sua prima. E isso é tão comum… vejo tanta gente junto que não é mais feliz, não ama mais, mas continua ali por comodismo ou por não querer arriscar e não encontrar “algo” melhor… Adorei seus comentários! Acho que temos uma linha de pensamento bem parecida rsrsrs. beijooos

    2. Pensei o mesmo que você!! Acho que ela se culpava DEMAIS, ignorando os erros dele ( que não eram poucos e incomodavam muito ela, mesmo ela fingindo que não). Mas acredito que essa era forma dela de amar ele. Agora ele acho que nunca a amou.
      Eu gosto de filmes que terminam meio sem final, fazendo com que nós interpretemos de maneiras pessoais. Embora, acredito que isso não foi o caso desse filmes. Pelo menos pra mim. Acho que transpareceu nitidamente que eles não terminaram juntos. Talvez por falta de amor ou por falta de maturidade ( até um pouco dos dois) …..

      1. Detesto finais assim kkk, mas verdade o final desse filme parece que eles não ficaram juntos e na minha opinião porque o amor esfriou, não era mais amor da parte dos dois. Também acho que ele nunca a amou, talvez gostou mas amor não foi. E pois é, ela sempre pensava nele, queria ele, isso é porque ela estava com medo de ficar sem ele e tem gente que é assim mesmo na vida real, eu por exemplo nunca namorei, mas tenho medo de namorar e acabar não pensando muito em mim e sim em ficar só com a pessoa e acabar sofrendo por causa disso. Vou tentar me valorizar sempre em primeiro lugar antes de namorar.

  3. Há deixando claro rs, que eu não defendo ela a personagem(sobre esse filme) porque acho que ela também errou, ela não tentava agradá-lo, como por exemplo na festa, eu sei que talvez ela não estivesse bem lá mas acho que ela poderia tentar ficar mais um tempinho por ele e ela também era bem estressada, isso estraga relacionamentos, mas ele errou pior do que ela. Assista o outro filme, muito melhor 🙂

  4. Assisti o filme umas 3 vezes, gostei bastante. E realmente, é um filme pra pararmos e pensarmos na nossas atitudes bobas de cada dia. E também não deixarmos os outros interferir no que ta bom. A inveja sempre destrói tudo. No inicio eu imagino que eles ate podiam se amar, mas acho que com o tempo pra ele virou rotina, era como se fosse uma zona de conforto pra ele. Achei justo o final, ele errou então … mas queria que eles ficassem juntos, eram tão lindos!

  5. Assisti o filme quase que nas mesmas circunstâncias que você. Fui pela sinopse e estou completamente surpresa pelo que vi, talvez porque me identifiquei muito com a história. Tenho 30 anos e namoro a mesma pessoa desde os 19. Impossível não me enxergar em tantas das cenas e do comportamento dela, em especial quando era mais nova. O soco no estômago veio pra mim na forma de uma única frase dele, algo como “eu te pedi espaço e você não respeitou”. Pode ter passado despercebido para muitos, mas no fim essa frase resume quase tudo: como ele jogou na conta dela a responsabilidade por estar ali naquele momento, a responsabilidade por todas as tentativas frustadas e por não ter conseguido seguir adiante com a ideia de ficar longe dele (ela não dava um minuto entre a briga e o arrependimento). Com isso ele praticamente se eximiu de todos os erros que cometeu. As atitudes dele quase nunca foram questionadas. Os pedidos de desculpas foram unilaterais. Tudo isso que levou, enfim, ao iminente término. O sofrimento dela foi infinitamente mais intenso do que o dele, em todas as situações. O filme é mesmo realista, mas só impacta quem consegue fazer um paralelo com a vida de verdade. Ou seja, ter experimentado um pouco disso tudo.

    1. Concordo em tudo o que vc colocou.Acho que eu, assim como vc, senti muito a intensidade dos dialogos e dos sentimentos por viver situacao bem semelhante…E como sempre, pelo fato da mulher normalmente tentar que a relacao volte aos eixos, que de certo, acaba que todo o peso do fracasso, o homem sempre atribui a ela….

  6. Vi o filme agora a pouco e estava na mesma intenção que a sua, ver um filme calmo… Senti o impacto também, dá pra ver nitidamente que os dois erraram em seus atos e o sofrimento distinto de cada um, eu me pus no lugar do cara porque recentemente passei por uma situação parecida, tive que mudar de cidade pra consegui uma promoção no trabalho e eu já namoro à mais de 4 anos com a mesma pessoa, me vi muito nas atitudes dele… De se sentir responsável pelo relacionamento, de saber que a outra parte é mais carente do que você… E não saber o que fazer.
    O que acaba com a credibilidade do rapaz é a traição no final… Ele deveria ter sido maduro e terminado o relacionamento, por mais que ele amasse ela, os caminhos estavam se distanciando e ele já tinha errado feio em beijar a Amanda na festa, depois foi dizer q ela que o beijou(que descarado, claramente foi ele que fez isso)

    Bem, gostei da sua análise e quis compartilhar uma opinião masculina aqui
    Boa noite

    1. Muito obrigada pela contribuição, Caio! Num mar de comentários femininos, sempre bom ler o outro ponto de vista rsrs.
      É compreensível o sentimento dele, mas como vc bem colocou, toda a razão dele foi por água abaixo diante da traição, da mentira e da coragem de assumir que já não dava mais né…

      beijoos e volte sempre

  7. vc saberia me dizer se existe o livro deste filme ou se vai ter continução??????,seria meu sonho uma continuação meu sem ooor ksksksk gostaria muito que tivesse tipo se eu ficar sabe msm não tendo o filme ainda tem o livro e eu sou perdidamente apaixonada !!!

    1. Oi Rafaela! Então, que eu saiba não… dei uma pesquisada, vi pessoas citando o livro mas não encontrei em nenhum lugar para vender. Nem em português nem em ingles… também não acho que terá continuação… infelizmente, né?!

  8. Bem, achei o final confuso. Sei lá, não sei se é por falta de experiências assim mas, no meu ponto de vista, o filme ficou vago quanto ao futuro dos dois. Vamos ao que eu penso, de acordo com os acontecimentos.
    – O Beijo entre ele e a Amanda:
    Pra mim, apesar de que ele, sabendo que estava namorando, não deveria se aproximar tanto de Amanda. Mas estava bêbado, e ele se arrependeu. O erro maior é que ele não confiou na namorada. 6 anos é tempo o bastante pra isso acontecer. Deslizes acontecem, não porque queremos. Podia ser ao contrário. Enfim…

    -A descoberta do beijo:
    Ela foi o que se esperava de uma mulher que descobre que foi traída. Mas ela não ter feito nada para liberar ele da cadeia foi paia. Mais paia ainda a reação dele depois que saiu da prisão.

    -A briga na casa dela:
    Coisas que acontecem, mas ela, sempre no seu estilo bipolar, interpreta as coisas mais pela emoção do que razão. Ele, também agindo por impulso, faz as coisas que se arrependerá depois.

    -A traição, de fato:
    Pois bem, a Amanda jogou “sujo” o tempo todo. Ela queria acabar com o relacionamento dos dois. E ele, de cabeça quente, faz as coisas sem pensar. Dan percebe a burrada que fez, e a Mel, com toda a razão, reclama que ela é, sempre, a que faz concessões.

    -No Hospital:
    Pra mim, Mel agiu sensata no momento que disse que era pra ele ir pra NY. Quanto o Dan diz que não vai mais, pra mim, é sinal de que ele realmente se importa com a Mel. Não era de se esperar que ele conseguisse dizer o que ela pediu à ele. Afinal, os dois passaram num turbilhão de emoções num curto espaço de tempo.

    – Enfim:
    O final, para mim é, como disse no início, vago. Namoros longos tem desses problemas. A falta de confiança no parceiro afeta, e muito, a relação a Dois. Além disso, temos que ter em mente que nem sempre os amigos vão ser seus amigos. Relacionamento a dois não é somente a dois. Amigos fazem intrigas, fofocas, fazem coisas que não são legais (Sim, todos sabemos que isso acontece).
    Para concluir digo, filme interessante, bem dramático, sem clichês, e bem real.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s