Resenha crítica – filmes – Endless Love ( Amor sem fim)

Recebi a indicação desse filme, através de um e-mail enviado pela Netflix. Ela “disse” que eu iria gostar. Na verdade, eu sempre gosto de todas as indicações que ela me manda, mas confesso que, ao ler o título e a sinopse do filme, não tive muito entusiasmo. Imaginei aquela velha história sobre um casal novinho que se ama muito, mas que por conta das diferenças sociais, não ficam juntos. E fim.

Mas para a minha grande alegria, o filme é MUITO bom, e foge ao esteriótipo da guerrinha amor versus classe social. Antes de mais nada, é interessante citar que o filme é um remake de um clássico dos anos 80 e que na época foi um grande sucesso de bilheteria. A história é sobre Jade Butterfield (Gabriella Wilde),  uma linda jovem de 15 anos que, após a morte prematura de seu irmão mais velho, ela decide se fechar para a vida e se dedicar inteiramente aos estudos, em busca em uma vaga em uma renonada faculdade de medicina. Na verdade, Jade nunca tinha percebido seu isolamento, até o dia de sua formatura em que, ela percebeu que simplesmente não tinha amigos, só familiares. Apesar de pouca vivencia, Jade me ganhou por não ser bobinha nem influenciável demais. Ela soube se portar e se impor nas situações em que este comportamento lhe foi demandado. Além disso, a atriz soube mesclar bem a mistura entre a doçura de menina, com a sensualidade de uma mulher madura.

Assim, no almoço em comemoração a sua formatura, ela conhece David Elliott, um lindo rapaz, que trabalhava como manobrista no restaurante em que ela estava e que, havia se formado junto com ela, apesar de já ter 18 anos. David sempre foi apaixonado por Jade mas, diante da distância que a menina imponha a todos do colégio, nunca disse nada ela. Pois bem, neste encontro casual no estacionamento do restaurante, eles se tornam amigos e, pensando em estreitar mais os laços e retomar a sua vida, Jade resolve dar uma festa em sua luxuosa casa e assim pede ajuda de David para chamar a todos do colégio.

Óbvio que a amizade se transforma numa paixão avassaladora. Mas o bacana da história é que o amor vai além da relação homem/mulher. David resolve mostrar a Jade o que é a juventude que ela abriu mão nos últimos quatro anos, por conta da morte de seu irmão, levando ela para viajar, ir a show, a parques, andar de bicicleta ou simplesmente não fazer nada numa tarde de domingo.

Além disso, o filme me ganhou por mostrar o quanto uma pessoa totalmente estranha, pode mudar completamente a vida de uma família. David, despertou não apenas o amor e a vontade de viver em Jade mas como a de vários membros do seu núcleo familiar. Por outro lado, Jade mostrou a David que a vida vai além dos limites que conhecemos, que não precisamos repetir o padrão de nossos pais para sermos felizes.

Os antagonistas da história fica por conta do pai de Jade, Hugh (Bruce Greenwood), que fará de tudo para atrapalhar toda essa história, além de alguns amigos de David que, não ficam satisfeitos com a mudança repentina do amigo.

É um filme tranquilinho, estilo sessão da tarde, mas nem por isso deixa de ser gostoso de se ver. Bons tempos do amor inocente e do clima romântico!

Anúncios

4 comentários em “Resenha crítica – filmes – Endless Love ( Amor sem fim)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s