Resenha crítica – filmes – Copenhagen

Confesso que foi bem difícil assistir esse filme. Não sei se é porque eu fui com muita expectativa, por ter lido ótimas críticas sobre ele e pelo trailer ter me encantando, só sei que assistir aos vinte primeiros minutos foi um tremendo sacrifício. Cheguei a dar pause várias vezes, sair da exibição, ver outros títulos, mas sismei que tinha que ver até o final, então respirei fundo e dei o play novamente.

Ao ler a sinopse, ele me parecia bem interessante e diferente.  A história é sobre Willian, um jovem de 28 anos que, resolve voltar às suas origens, Copenhagem, para encontrar o seu avó e entregar uma carta a ele escrita por seu pai. Durante a sua saga em encontrar o avó, ele conhece , uma jovem dinamarquesa que, se solidariza com a sua causa e resolve ajuda-lo.

Bacana né? Mas então, não é bem assim que a história acontece. Inicialmente, o personagem principal, Willian, não passa de um cara boçal e imaturo que só pensa nele mesmo. Seus diálogos se resumem a reclamar do amigo que o acompanha na viagem, reclamar que não entende nada de dinamarquês e que pensava que conseguiria mais aventuras sexuais em Copenhagem do que estava realmente conseguindo. Isso se resume a quase 15 minutos de filme. Péssimo. Depois, o filme começa a melhorar um pouco quando finalmente ele conhece Effy, uma jovem que trabalhava em um café ao lado de seu hostel.

Effy se encanta com a missão de Willian e decidi ajuda-lo a encontrar o seu avó. Neste momento, começam várias passagens bonitas por vários pontos turísticos de Copenhagem e para tornar o passeio mais interessante, Effy decidi rememorar as fotografias que Willian tinha de seu pai, quando ele ainda era pequeno, então, a cada ponto turístico ela o obrigava a fazer a mesma pose para ser fotografado. Esse é a auge do filme! A Effy é uma fofa e faz de tudo para ajudar o chato e reclamão do Willian. Além disso, a atriz conseguiu captar a essência da personagem, fazendo com que a gente tenha a sensação que Effy é aquela nossa amiga bacana, sempre disposta a ajudar.

Até que, lá para o final do longa, ele finalmente começa a dar valor aos sacrifícios da Effy e começa a se encantar por ela. Mas ele descobre um detalhe sobre a vida dela que faz ele recuar sobre qualquer sentimento que estivesse sentindo e passa a trata-la de outra forma. Então, o filme promete uma coisa que não cumpre. Não teve nenhuma passagem de fato marcante, o casal não acontece, o personagem principal é um egocêntrico, nenhuma frase marcante entre os diálogos… Resumindo: uma perda de tempo, apesar do elenco ser excelente e ter uma ótima atuação.

Para quem quiser assistir e comprovar que eu estava certa, ou errada, ele está disponível no Netflix mas também pode ser assistido online no Rede Canais Filmes.

Segue o trailer original:

 

Anúncios

44 comentários em “Resenha crítica – filmes – Copenhagen

  1. Que pena! Odeio assistir algum filme com expectativas e me decepcionar. Bom saber que não vale a pena, assim nem assisto. Adorei a resenha!
    Beijocas

  2. o filme não é uma perde de tempo , ele é ótimo perfeito , no filme fala uma frase , que : Viver é isso : Ficar se equilibrando o tempo todo , entre escolhas e consequências . Ai ele recuou ter qualquer sentimento que estivesse sentindo por ela , para não reter as consequências que ia dar se ele se envolvesse ainda mais com ela !! Foi uma questão de sabedoria .
    o filme foi de doer o coração , por que mostra muita realidade de hoje em dia , quando o Willian encontrou o avó dele pela primeira vez pensei que pudesse rolar pelo menos um abraço em ver o neto pela primeira vez , mas simplesmente ele nem ligou em em ver o neto dele , ele foi um ingrato , os dois tinha problemas com a família , a Effy tinha com o padrasto dela , ele a maltratava era difícil a situação entre eles !! mas o dois tiveram coragem de encarar tudo isso , ele entregou as fotos para o avô dele, e ela resolveu contar para a mãe dele oque o padrasto dela tava fazendo com ela .
    O final foi de doer o coração . principalmente quando ela tava olhando as fotos dele na sala de aula no final .
    muitos queriam que eles ficassem juntos , ate eu queria , mesmo que eles não ficarão juntos eu aceito o final doloroso .

    1. Oi Larissa, eu só editei uma parte do seu comentário (retirei) um pedaço pq vc contava um dos pontos auge do filme! Para não perder a graça de quem quisesse assistir depois, tá? ! Para não ter spoiller aqui na resenha rsrsrs!
      Obrigada por sua opinião!
      Beijoooos

    2. Tive exatamente essa visão do filme, apesar de no final fiquei com vontade de vê-los juntos. Porém achei genial não terem, pelo motivo dela ser menor,e ele ter respeitado isso foi ótimo, pois nos dias atuais isso é banal.

    3. Que bom que comentaste Larissa. Concordo plenamente.
      Estamos acostumados com filmes clichês e não aceitamos quando há algo diferente a oferecer.
      Eu adorei esse filme.

  3. Assisti hoje o filme por acaso na Netflix, nunca havia visto trailer ou resenhas sobre, por isso gostei bastante. Não me arrependi de ter assistido ,talvez porque não tinha nenhuma expectativa sobre ele. Achei o roteiro interessante, uma proposta diferente, as atuações otimas e a fotografia também. Não é um filme excepcional, porém me proporcionou uma experiência interessante em um dia frio e monótono como hoje.

  4. Me surpreendeu mto. Perfeito quando não acha nada de interessante no netflix. Achei o filme bem lindo, primeiro pela cidade que é simplesmente perfeita de dia e de noite. E pela historia de amor deles, bem simples e tocante. Não é aquela história clichê de Hollywood. Sem falar na trilha sonora que já quero baixar todas as músicas.

  5. Assisti e gostei!!! Contando com as paisagens e trilha, mas principalmente pela capacidade de causar uma sensação de amor, ao assistir…
    De longe fiquei satisfeita com o desenrolar da história, mas foi como foi! E tinha que ser!
    A essência dos sentimentos e do filme foi capitada ;/ 😉

  6. Acabei de ver e adorei… Simplesmente pq é diferente, foge do clichê!!
    Consegui assistir mesmo com toda a antipatia que senti pelo personagem principal, rsrsrs

  7. Interessante podermos captar que um personagem com dobro da idade, porém imaturo… Consegue crescer durante o desenrolar do filme, sobre a companhia de uma jovem de 14 anos. Podemos analisar que se não houvesse a ruptura entre os personagens estaria comprometendo a ‘nova’ personalidade,pois seria cometido um ato ilícito e precipitado.
    Achei a fotografia muito interessante, me estimulou a conhecer a cidade… Já que a narrativa passa pelos principais pontos turísticos de Copenhagen.
    Aos que ainda não viram…. Indico assistir com bons olhos.

  8. Obrigada pela sua contribuição, Daniel! Este é um espaço democrático em que todos os pontos de vista, quando bem embasados, são muito bem vindos.
    Compreendo e aceito a sua leitura do longa mas isso não lhe dá o direito de me chamar de egocentrica e imatura, até porque você não me conhece. Então, peço que, sempre que vc se manifestar aqui, foque seus argumentos nas críticas ( conforme a parte inicial do seu argumento) e não em mim e evite contar partes importantes do filme, como outros colegas fizeram, para não ocorrer os desagradáveis “spoilers”.

    Um abraço!

  9. Acabei de assistir.
    Gostei.
    Foge do clichê.
    O final foi bonito.
    Assistiria de novo para prestar mais atencao aos pontos turisticos.
    Achei o filme inteligente

  10. Eu fui ao contrário, assisti ao filme sem esperar algo a mais e acabei adorando. O final é inesperado então isso faz com que seja o ponto forte do filme!

  11. Então eu gostei bastante do filme, e a trilha sonora então nem se fala… Mas devo admitir que fiquei um pouco confusa no final(em minha concepção e meu ponto de vista eu entendi que a cena dele de frente pro mar significaria que um dia eles iam se encontrar e etc), alguém poderia me ajudar a compreender melhor por favor? Rsrs

    1. Acho que não vão se encontrar novamente porque o que eles tiveram já foi suficiente.. ele nunca mais vai ser o mesmo e ela viveu mais do que suficiente pra uma adolescente de 14 anos kkk fiquei com invejinha dela.. queria ter vivido uma aventura parecida nessa idade.

  12. Eu gostei bastante.
    Achei um final plausível, principalmente pelo fato de ter mostrado que essa experiência em busca da sua origem, do entendimento da relação dele com o pai e como isso foi apresentado a ele através garota, só mostrou a necessidade que ele tinha em amadurecer.
    A transição do cara do início do filme para o do final foi essencial para mostrar que tudo depende de como encaramos à vida, principalmente se as experiências que passamos consegue extrair o melhor de nós mesmos.

  13. O filme é bom e as tomadas de Copenhagen/Dinamarca são ótimas. Que inveja de ver alguém passear de bicicleta em qualquer horário do dia e da noite. Mas o que eu achei interessante mesmo foi o fato de em Copenhagen todos os telefones públicos (orelhões) funcionarem perfeitamente.

  14. Sabe que eu estava rodando o Netflix e já estava no tédio quando li a sinopse do filme, e me pareceu ser um filme mediano, bom fui assistir, e não sei por que realmente o filme não é tudo isso, mas eu já vi o vi umas 20 vezes sem falar que to ouvindo a banda que Effy canta em um trecho do filme, a banda é de Copenhague e se chama Stoffer & Maskinen. No meu ponto de vista o filme é ótimo, pelo fato de ser bem diferente, e não sei mas esse filme me marcou, estou lendo tudo sobre a cidade e tal… Na verdade super recomendo. Mas não sei por que, talvez seja a Effy…Ela consegue ser mais linda a cada vez que o vejo!! Haah !!! E vi 20 vezes para praticar meu Inglês também shsh…

  15. Um bom filme prende a sua atenção e o leva até o final. Fotografia maravilhosa, ótimos atores, cenário perfeito, trilha sonora então, nem se fala! A história (ou estória, mas já está condenada, rs) é bem interessante, fugiu do clichê e conseguiu me surpreender, pois ao contrário de quase todo mundo que disse esperar mais, ao ler a sinopse, em momento algum eu esperei um romance, até mesmo porque a primeira informação que consta na sinopse (Netflix) é sobre a moça ter 14 anos, então eu sinceramente achei pouco provável… Enfim, fiquei curiosa e fui ver. Com relação a revelação da idade da moça, esse não é um dos pontos fortes do filme, ao ler a sinopse, antes de começar a ver o filme você já fica ciente disso. O surpreendente é a maturidade que ela tem para tão pouca idade, e a evolução é a postura responsável que ele passa a adotar, sendo antes um idiota. A Larissa captou muito bem a mensagem, na minha opinião foi quem melhor analisou o filme. Tem sensibilidade de cinéfila essa moça, hehehe… Obrigada pelo espaço, até mais.

  16. Gostei muito do filme. Fiquei esperando no final uma passagem de tempo onde ele retornasse a Copenhagen e ela já estivesse adulta e assim pudessem viver a paixão que tinham um pelo outro. Mas não…tive uma decepção com um final sem sentido algum.

  17. Confesso que esperava um pouquinho mais do final, por que acho que poderia vir com algumas informações importantes, como se depois eles continuaram mantendo contato ou não, pelo fato de que acredito que ficou claro para todo mundo que eles pensavam um no outro e isso foi de partir o coração. Mas em suma, o filme reflete uma visão de crescimento interior, de quando você tem que seguir a razão ao invés da emoção e reconhecer que isso é o certo a se fazer e por último e não menos importante de quando sem querer, o destino lhe apresenta um alguém capaz de modificar seu pensamento e faz com que você amadureça, inesperadamente.

  18. Explicando o final do filme, no final da minha opinião direi algo que todos deixaram passar.

    Antes me deixe dizer que é um filme muito bem recebido crítica especializada, com mais de 90% de aprovação no Rotten Tomates.

    Segundo, vamos pontuar que roteiros e finais óbvios, não são muito comuns em cinema de qualidade (com algumas exceções) normalmente filmes mais maduros e menos blockbuster (feito para vender grandes bilheterias, e passar no cine pipoca) são filmes mais sensíveis e subjetivos, te deixam o benefício da dúvida , o jogo da interpretação, como qualquer boa forma de arte, e esse filme, faz isso muito bem.

    Eu demorei a aprender a gostar desses filmes, antes eu tinha a impressão que eles acabam “do nada” me deixando frustrada. Hoje eu amo esses finais.

    Particularmente não acho um grande filme. A autora do post fez críticas bem pertinentes como a dos primeiros 15 minutos de filme, a ideia era mostrar o quanto o protagonista era boçal para explorar seu amadurecimento, mas o argumento utiluzado no roteiro foi fraco, e o pano de fundo da história do avô não convence muito.
    Mas tirando todo o argumento ee o pano de fundo, (que são toda a composição do filme) você tem o que o filme realmente quis mostrar , o ponto principal que é relação romântica , é feito com muita sensibilidade . O romance dos 2 convence, cativa, a Effie é uma personagem apaixonante (to apaixonada pela voz dela) tem cenas entre os 2 de causar borboletas no estômago de quem assiste . Para mim que sou fã de sentir essas borboletas que me ocorrem em raros filmes (como em What if) gostei muito dessa experiência. É um filme para ver sem espectativas, naquela tarde que você quer assistir algo mais leve, depretencioso, se for assim, vai ter bons momentos no sofá .
    Para quem é fã de cinema de verdade, os filmes pra passar o tempo, são desse tipo, e não do tipo que passam no cinema badalado do shopping da sua cidade.
    Então eu o defino como um bom filme pra passar o tempo.
    Vale a pena se você for com essa intenção.

    Sobre o final, tem uma coisa que todos deixaram passar. Durante uma conversa que a effie tem com o amigo do protagonista (que agora esqueci o nome) lá naquela cena em que os 2 caem na porrada e a Effie vai embora, ela conta para esse amigo uma história, sobre o fim da praia, em que as correntes viajavam nas direções opostas, mas sempre se encontram no meio, e que essa era uma relação perfeita.
    Esse lugar descrito por ela é onde ele aparece sorrindo na última cena do filme.
    De todos os pontos bons que curti no filme, o final foi o ponto alto.
    A metáfora foi genial, é discreta na medida certa. Nem muito óbvia, nem muito difícil de sacar.

    Pois então , não é por que um filme não mostra explicitamente um casal junto no final, que isso oficialmente não acontece na ideia do autor. Esse benefício da dúvida é o que há de melhor pra mim nessas histórias de romance.
    Um bom exemplo é o impecável filme “brilho eterno de uma mente sem lembranças” que gera discussões até hoje entre os fãs, sobre que destino tomou o casal.

    Na minha interpretação, em Copenhagen, a história dos 2 não acabou ali. Mas só nos cabe imaginar de que forma que ela continuou. A relação da história contada por ela, sobre os mares que “sempre se encontram no meio” ser o local da última cena dele, não foram colocados lá ao acaso.

    1. Que belíssima síntese e explicação sobre o longa!!!! Se pudesse, curtiria mil vezes!!
      Muito obrigada pela sua contribuição ( super enriquecedora! ) aqui no blog!
      E pretendo assistir suas duas sugestões de filmes!

  19. Realmente os primeiros 20 minutos do filme são muito chatos, estava quase desistindo, cheguei a pular algumas cenas e partir pra parte em que ele conhece a Effy. Adorei a fotografia, o Willian é realmente muito egocêntrico e fútil, mas achei interessante descobrir a história dele, o porquê dele ser assim. A química entre ele e a Effy tmb não rolou muito bem, ele me pareceu gay, não sei, talvez seja isso, faltou uma atuação melhor nessa parte. Mas achei bom não ter desistido do filme, porque ele é bonitinho, adorei o final, ele entre os dois mares que a Effy tinha contado e todo o simbolismo e metáfora, não é um ótimo filme, mas achei bonitinho até e me salvou de uma tarde tediosa rs.

  20. É uma pena que não tenha gostado ou tenha se frustado com o filme. Gosto de filmes que deixam um ponto de interrogação no final. Sabe aquela história de Capitu e Bentinho, de Machado de Assis, em que a gente fica se perguntando se Capitu traiu ou não Bentinho? E nuca sabe a resposta. E ao reler o livro encontramos justificativas que traiu e, também, que não traiu… Oh dúvida cruel!!!
    É a mesma coisa quando assisto Copenhagen (já o assisti três vezes). A primeira vez que assisti, quando terminou, fiquei pensando “é isso?”; “acaba assim essa aventura?” Mas aí voltei a assisti. Desta vez analisando a explicação de Effy para o amigo de Willian sobre as correntes marítimas…
    Gosto dese final em que ela está em uma sala de aula (bem adolescente) vendo as fotografias e ele observando tais correntes… Gosto de imaginar que o filme não acaba aí. Parece que o autor não colocou um ponto final na sua história. Gosto de analisar que até pouco tempo nossas avós se casavam com 13, 14, 15 anos (claro que era mais por obrigação) e que hoje a modernidade rotula as ações humanas. E por causa desses pré-conceitos ou rótulos um casal deixe viver o seu amor…

    Ou porque conheço um casal em que a menina se casou com 15 anos (porque estava grávida) e o companheiro tinha 23 anos. Hoje ela tem 46 anos e seu esposo 54. Um casamento que deu certo. Esse casal tem três filhos muito bem criados (um médico, uma delegada e um é estudante de direito) e fizeram a pouquíssimo tempo 30 anos de casados, ou porque sou uma eterna romântica, seja lá qual for o motivo, o certo é que amei o filme.

  21. Oi amore. Muito boa sua crítica. Bem escrita e explicativa. Mas minha opinião não é mesma que a sua. Eu achei o filme maravilhosamente real. Maravilhoso e cativante. Não precisou de muito para mostrar o essencial. Bjs. Virei sua leitora.

    1. Oi Marília! Obrigada pelas doces palavras. Estou pensando seriamente em assistir novamente este filme, já que várias pessoas já se manifestaram expondo pontos que de certa forma me passaram despercebidos. Vai ver eu passe a vê-lo com outros olhos e passe a gostar mais né…Beijos!

  22. Quando fui assistir esse filme, não tinha expectativa nenhuma.. achei que seria super clichê com finalzinho igual a outros milhões, mas confesso que passei um bom tempo pensando nele -em contraponto ao que li em outra resenha a respeito.
    O começo é confuso, porque a vida do protagonista é confusa.. você não entende o que ele quer, porque ele também não entende.
    A menina aparece pra mudar a vida dele totalmente, e o romance-que-não-aconteceu foi a melhor parte pra mim. Ele representou o amadurecimento do rapaz que no começo do filme nem sabia ao certo o que tava fazendo na Dinamarca, que, além de se apaixonar pela primeira vez, foi capaz de se abster de algo em prol da lei (o filme também me criou interesse no direito dinamarquês kkk).
    A fotografia é linda, o enredo é simples e cativante, o elenco é incrível.

  23. Eu amei esse filme sim ele egocentrico mas depois mostra que ele é um personagem legal. A mensagem amor do filme é que : sempre tem que estar em equilíbrio o relacionamento,ou seja, eles n podem se perdem um no outro como os mares.

  24. Quem gosta de clichê tem que assistir aqueles filmes já mastigados por hollywood. Esse filme foge do roteiro chato, previsível, filme bom é assim mesmo! Adoro esse estilo europeu de ser. Essa atriz Frederikke Dahl Hansen promete muito, que atuação! Eu tive uma grande experiência também, viajei por muitos lugares, Paris Nice, Antibes, Berlin, Frankfurt … Me fez recordar um pouco de minha aventura, no meu caso ela era maior de idade e de uma personalidade daquelas, quem sabe eu não escreva um roteiro e vire um filme. Com certeza o final iria surpreender, estilo europeu! rsrs abraços

  25. Pois eu me apaixonei peo filme, é leve e ao mesmo tempo traz um drama da vida real. Traz reflexões na questão dele com o avô, e também da maneira com que podemos aprender ao convivermos com alguém que nos torne melhor. Filme bom nem sempre é o que tem finalzinho feliz e previsível. Eu enxergo os filmes de acordo com o que eles têm a nos ensinar e de acordo com a sensação que ele passa. O filme me proporcionou ambas as coisas, me senti quase em Copenhagen em alguns momentos, a imagem do filme é incrivelmente perfeita e valoriza o local. Sem falar na a química entre os atores, que foi nota 10! Filme ótimo para se sentir leve.

  26. Vi esse filme por acaso no Netflix e de uma certa forma despertou minha curiosidade, e pelas críticas que li sobre o mesmo também criei uma certa expectativa. Achei que ele iria me lembrar um pouco de “Antes do amanhecer” (um dos meus filmes preferidos). De certa forma ele até lembra um pouco, um casal se conhecendo do nada em alguma cidade da Europa, ele norte-americano e ela europeia, e iniciam uma relação de cumplicidade. Mas este é um filme que eu não achei uma perda de tempo, até me agradou. Mas meio que é um filme bacana, mas que falta algo, não consigo explicar. Ele passaria de ano, mas sem louvor…rsrs..As paisagens são belas, é um filme que tem uma certa delicadeza, os atores estão bem e rola uma química entre o “casal”. Mas acho que a questão da diferença de idade entre os dois, o q poderia a ter uma consequência imoral, ou ilegal poderia ser melhor trabalhada. Consegui me colocar no papel do cara e seria uma situação que despertaria um grande dilema na cabeça de qualquer um..rs…Concordo com você um pouco em dizer que o filme promete algo e não cumpre. Acho que isso que ficou faltando, ele cria uma certa expectativa, vai lhe cativando, mas acaba entregando pela metade. Mesmo assim eu gostei, é um filme que dá pra assistir despretensiosamente numa tarde fria, como foi o meu caso…kkkk
    Abraços! E parabéns pelo blog…Achei muito legal!
    Apesar de parecer um blog feito para meninas, mas me identifiquei…kkkkkkk

    1. Edilson, muito obrigada pela sua contribuição! Para mim, você deu a melhor definição para este filme: ” Ele passaria de ano, mas sem louvor…rsrs..”. Foi bem isso mesmo! Ficou faltando algo no ar né…
      Apesar das “meninas” serem maioria por aqui, o blog é feito para todos! =)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s