Resenha crítica – filmes – It’s Kind of a Funny Story (Se Enlouquecer, Não se Apaixone)

De um modo geral, as enfermidades mentais me assustam mais do que as físicas. Sempre me interessei pelo assunto, principalmente após cursar na faculdade uma disciplina chamada Psicologia Jurídica, na qual as patologias sociais eram o foco das aulas. Lembro-me da professar nos mostrar o documentário A Casa dos Mortos, que narra a maneira assustadora como as pessoas com problemas mentais são “tratadas” no sistema carcerário brasileiro! Mas isso será tema para outra postagem… voltando ao foco, gostaria de falar sobre as enfermidades mentais mais corriqueiras, como a depressão e como elas não são levadas a sério, pela grande maioria.

O filme It’s Kind of a Funny Story (Se Enlouquecer, Não se Apaixone) aborda um assunto pesado, como a depressão em adolescentes mas de forma leve sem ser superficial. Com certeza um dos melhores filmes que já assistir em 2016. Ele conta a história Greg, um jovem de aproximadamente 16 anos que, sem saber bem o porque, deseja se suicidar. Ele sonha várias vezes com isso, chegando à ponte “escolhida” e na hora de pular, a família dele vem em mente e ele acaba desistindo. Essa idéia do suicídio começa a tomar tanto lugar em suas idéias, que com medo de que o sonho deixe de ser realidade e se concretize, ele resolve se internar em uma clinica psiquiátrica.

Em um primeiro diagnóstico, o psiquiatra o atesta como um grau leve de depressão e que assim não seria necessária a internação. Mas de tanto que ele insistir, o médico o interna pelo prazo de 07 dias. O grande diferencial é que, pelo fato da ala dos adolescentes estar em reforma, Greg é internado na ala adulta e ai sim, toma noção da proporção de sua escolha.

Seus colegas de ala não são adolescentes com dúvidas com relação a que decisões tomar na vida profissional ou com problemas de convivência com os pais. São pessoas com sérios como esquizofrenia, depressão crônica, demência, dentre outras enfermidades. Arrependido nas suas primeiras 05 horas de internação, ele vê que não é tão doente assim e pede para sair, mas para sua surpresa, ele terá que cumprir integralmente o período de internação.

 O elenco é espetacular, formado por Bobby ( Zach Galifianakis ), que tentou se matar seis vezes, Noelli (Emma Roberts) uma garota da idade de Greg, que sabe a história de suicídio de todas as personalidades importantes da história americana e por Dra Minerva (Viola Davis), sua psiquiatra nada convencional. Apesar do título em português falar em paixão, não há nenhum envolvimento amoroso de fato, apenas um flerte entre Greg e Noelli, mas nada muito significativo. A história é totalmente focada nas descobertas de Greg na clinica psiquiátrica e como as lições aprendidas podem sim transformar a sua realidade. Apesar de um fundo bem triste, tem passagens hilárias e nos mostra que, diante de qualquer situação que a vida nos coloque, é possível tirar ensinamentos e energia para mudar a si mesmo.

Anúncios

4 comentários em “Resenha crítica – filmes – It’s Kind of a Funny Story (Se Enlouquecer, Não se Apaixone)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s