#MeuAmigoSecreto, outras campanhas e o machismo que alimenta a violência contra a mulher

Segundo pesquisa realizada pelo Instituto Avon, 03 em cada 05 mulheres jovens já sofreram algum tipo de violência em seus relacionamentos amorosos. 56% dos homens admitem que já cometeram alguma formas de agressão em sua companheira, tais como xingar, empurrar, agredir com palavras, tapas, socos e até mesmo a impediu de sair de casa, obrigando-a a manter relações sexuais. Em mais de 80% dos casos, a violência foi cometida por homens com quem as vítimas têm ou tiveram algum vínculo afetivo tais como atuais ou ex-companheiros, cônjuges ou namorados. Estes são apenas alguns dados da realidade feminina em nosso país frente aos seus relacionamento amorosos e que são simplesmente abafados.

Este ano de 2015 foi muito importante para a luta contra a violência contra a mulher. Campanhas importantes que nasceram nas redes sociais fizeram com que mais mulheres criassem coragem para denunciar seus agressores, resultando num aumento de 40% das denúncias feitas junto aos órgãos competentes, comparadas ao ano de 2014. Dessas campanhas, duas me chamaram bastante atenção: #MeuPrimeiroAssédio e #MeuAmigoSecreto.

Posso perfeitamente ser enquadrada no que o IBGE classifica como “Classe Média Alta” e fiquei perplexa com os relatos de conhecidas que tomaram conta da minha linha do tempo no Facebook durante a campanha #MeuPrimeiroAssédio. Eu passei por uma situação quando eu tinha 07 anos de idade e por sorte nada mais sério aconteceu. Nunca tinha comentado com ninguém. E com a campanha percebi que 90% ( isso mesmo!) das minhas amigas tinham vivido situações semelhantes. Agora imaginemos o que tantas meninas e mulheres não passam em nosso país, aonde 80% da população é pertencente a classes sociais menos favorecidas e que não usufruem da estrutura de segurança e até mesmo de liberdade que hoje eu tenho, por exemplo.

Mas minha segunda (e decepcionante) surpresa foi com a repercussão da #MeuAmigoSecreto, no final de novembro desse ano. O objetivo da campanha era fazer com que mulheres relatassem casos de machismo promovidos por homens que fazem parte de seus convívios sociais. Vejamos algumas publicações:

“Meu amigo secreto‬ implora e faz chantagem emocional por nude pra depois vazar na internet e falar que a mina é vagabunda”.

“Meu amigo secreto usa poliamor como desculpa pra não assumir a mina dele e não ter responsabilidade emocional”.

“Meu amigo secreto parece gente boa, mas quando está bêbado assedia mulheres”.

“Meu amigo secreto gosta de reforçar estereótipos de que mulher que é interesseira, ‘mulher gosta de carro, quem gosta de homem é viado’ só que ele deixa as mulheres pagarem as coisas pra ele por estar sempre sem dinheiro e depois finge que esqueceu, esquecidinho ele”.

“Meu amigo secreto se relaciona com alunas, inclusive menores de idade. Mas só chama alunos homens para serem seus orientandos em pesquisas”.

“Meu amigo secreto se diz ‘feminista’ mas bateu na ex-mulher”.

“Meu amigo secreto é visto por todos como um cara legal e tranquilo, mas já enforcou a namorada e disse que não fazia sexo com ela por ela estar gorda”.

Mas aí a história mudou, porque o agressor não estava mais no passado e sim no presente e ali, pertinho das mulheres que estavam denunciando. Logo, a campanha não foi tão bem recebida pelos homens que resolveram encabeçaram uma investida contra a hashtag, criando a #MinhaAmigaSecreta. Com proposta semelhante, a nova campanha chegou aos Trending Topics no Brasil – mas com o objetivo de difamar e cometer mais assédio moral contra as mulheres:

“Minha Amiga Secreta se esconde atrás do feminismo, porque tem vergonha de ser mais rodada que o pião da casa própria”.

“Minha Amiga Secreta paga de rica e popular mas não tem nem pra passagem e é mal falada mesmo!”

Chamo de engraçado, para não chamar de trágico o comportamento desses homens que resolveram parodiar uma campanha tão importante. Muitos estão tão limitados a sua vidinha de classe média ( incluo aqui meus amigos) que não percebem a realidade ao redor, como os números que apontei no começo dessa postagem. E o pior de tudo é ver personalidades públicas encorajando mais ainda esse machismo velado como o jornalista e escritor Antônio Prata, que sempre apoiou campanhas feministas nas redes sociais, mas questionou a #MeuAmigoSecreto em seu Facebook: “Se você tem uma acusação séria, a Maria da Penha tá aí. Se você tem uma acusação menos séria, vai lá e briga com o cara. Mas ficar nessa delação velada, nesse clima de “A Lava Jato vai te pegar e você sabe que é de você que eu tô falando”… Meio esquisito, não é não?

Ai eu penso: se um cara com formação social e acadêmica como ele, cosmopolita, que escreveu anos para a uma revista feminina (Capricho), pensa e escreve uma barbaridade dessas, imagine aquele cidadão que cresceu numa atmosfera machista, acreditando que a esposa tem o papel apenas de cuidar da casa e de seus desejos sexuais, sem instrução alguma, em condição de extrema miséria, o que irá pensar?!

Para finalizar trago aqui o que eu considero um dos poucos e ótimos projetos sociais desse atual governo, a Casa da Mulher Brasileira, projeto inovador no atendimento humanizado às mulheres. A Casa integra no mesmo espaço serviços especializados para os mais diversos tipos de violência: acolhimento e triagem, apoio psicossocial, delegacia especializada, juizado em violência doméstica e familiar, promotoria, defensoria pública, serviço de promoção de autonomia econômica, espaço para o cuidado das crianças (brinquedoteca), alojamento de passagem e central de transportes, a ser utilizada nos casos em que a mulher necessitar ser encaminhada aos demais serviços públicos da rede, como saúde, Instituto Médico Legal etc. O importante é o acesso a todos os serviços em um dia só e a possibilidade de obter no local a medida de proteção.

E vocês, o que acharam dessas campanhas?

Fontes:

http://www.compromissoeatitude.org.br/dados-e-estatisticas-sobre-violencia-contra-as-mulheres/

http://www.spm.gov.br/noticias/casa-da-mulher-brasileira-e-inaugurada-em-brasilia

http://epoca.globo.com/vida/experiencias-digitais/noticia/2015/11/meuamigosecreto-nova-campanha-na-internet-denuncia-o-machismo-nosso-de-cada-dia.html

http://publicidadeecerveja.com/2015/03/30/anuncio-da-casa-sofia-na-revista-brasileiros-contra-a-violencia-domestica/

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s