Resenha crítica – filmes – In your eyes

Prenda a respiração e prepare-se para os próximos 120 minutos, pois você irá se apaixonar por esse romance totalmente fora dos padrões. Esse filme tem como base um dos principios que mais acredito em relação aos relacionamento amorosos: idéias em comum são muito mais atraentes e determinantes para uma relação do que o visual perfeito:

Os protagonistas, Rebecca (Zoe Kazan) e Dylan (Michael Stahl-Davidnunca) nunca se viram, nem mesmo moraram no mesmo estado mas convivem um com o outro há pelo menos 20 anos. O casal, de forma inesplicável, pode ouvir e ver um ao outro, através de seus olhos, mas não conseguem ler seus pensamentos. Com isso, cada dor ou alegria que um tem, o outro sente a milhares de quilômetros, sem saber bem o que está ocorrendo, sendo possível inclusive um sentir o toque do outro.

Mas certo dia, os dois conseguem controlar suas mentes e conseguem entender mais ou menos o que estava acontecendo, e assim, tornam-se grandes amigos e confidentes, já que em tese passam o dia juntos. Becca é casada com um médico renomado e diretor de um grande e respeitado hospital mas que, apesar de muito ama-la, tem vergonha dos “surtos” que ela tem, achando assim que a esposa é esquizofrênica. Já Dylan, ex-presidiário que está em liberdade provisória, encontra em Becca a oportunidade de ser um cara melhor e não mais cometer delitos. Assim, a partir desta ligação, Becca e Dylan iniciarão um inexplicável romance metafísico, em que é notável que, para sentimentos nascerem não é preciso ver e tocar um ao outro e sim apenas compreender.

Indico atenção especial para duas cenas em particular no filme, que para mim são apaixonantes e o auge de toda a trama:

Cena 01: Dylan está sentando em um barquinho em frente ao lava-jato em que ele trabalha, ouvindo rádio enquanto conversava com Becca. Ela pede que ele aumente o som por ser uma de suas músicas favoritas. Nisso, cada um em sua “realidade” começa a dançar como se um pudesse ver o outro. A cara do chefe de Dylan, ao ver o funcionário dançando no meio da rua é memorável, assim como a do marido de Becca, ao ver a esposa dançando no porão, sem som algum

Cena 02: Becca, ao descobrir que o marido jogou fora suas fotos e lembranças de infância, resolve beber uma garrafa de vinho e contar para Dylan sobre tudo que a atormenta… Nesse momento de desabafo, em que um está abrindo o coração para o outro, Becca lembra que um pode sentir o toque do outro e pede que Dylan a abrace, dando inicio a uma cena em que os dois “dormem” juntos.

Uma curiosidade sobre o filme: o roteiro original foi escrito em 1992 mas apenas virou longa-metragem em 2014!

O filme está disponível tanto no Netflix, como também pode ser assistido na íntegra no Youtube:

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s